Estudantes e profissionais com formação variada como psicologia, medicina, fonoaudiologia, terapia ocupacional, pedagogia e outros, ao serem apresentados à área da neuropsicologia em congressos, aulas e cursos perguntam: Como está o campo de atuação do neuropsicólogo? Como é o mercado de trabalho no Brasil? Se você assiste programas de divulgação geral sobre saúde verá que  a presença de profissionais da neuropsicologia ou que citam o campo de conhecimento como fundamento para explicar alterações da saúde cognitiva e mental tem sido cada vez mais frequente.

Recentemente, no Congresso da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia, uma aluna de psicologia me disse que era a primeira vez que via tanta informação em tantos casos e aplicações, por exemplo, na escola e no hospital, mas tinha dúvidas sobre quanto tempo de formação e estudo e se poderia se sustentar financeiramente fazendo neuropsicologia. A resposta é estudar sempre e escolher a o campo de maior afinidade e aplicação. Bons profissionais são resultado da dedicação e do prazer de atuar na área. Gostamos muito de trabalhar em algo que nos diverte. E se você ama neuropsicologia, também fará isso.

A neuropsicologia, como área interdisciplinar de disciplinas básicas e aplicada, oferece ao profissional uma ampla oportunidade de escolha no que tange ao campo de trabalho. Profissionais da neuropsicologia no Brasil iniciaram o trabalho em hospitais, mas o campo foi se ampliando para outras locais. Atualmente, o trabalho do profissional que atua em neuropsicologia clínica é requisitado para avaliação tanto de transtornos do desenvolvimento quanto dos problemas associados a lesões ou disfunções, envelhecimento e outros. O neuropsicológo pode trabalhar também na área escolar, na avaliação de dificuldades e no melhoramento cognitivo na escola, por exemplo, em funções executivas em pré-escolares e escolares. É possível trabalhar em equipes hospitalares, em diversas unidades clínicas, como por exemplo, neurologia ou UTIs, ou equipes cirúrgicas, por exemplo fazendo avaliação de pacientes pré e pós-cirurgicos com epilepsia refratária.  É possível trabalhar em clínicas de reabilitação planejando, avaliando e intervindo em pacientes com disfunções cognitivas, como linguagem e memória. Fonoaudiólogos com formação em neuropsicologia, por exemplo, ampliam a compreensão dos transtornos associados à linguagem e às intervenções possíveis. A neuropsicologia é um campo de trabalho vasto, e que requer constante formação profissional. Que tal dar uma conferida no nosso Curso Online de Formação Continuada em Neuropsicologia? Nós desenvolvemos um curso totalmente focado na aplicação dos conhecimentos em neuropsicologia. Justamente pensando  naqueles profissionais que querem se destacar no mercado. 

Como nossos alunos do curso sempre pontuam, há outras áreas de interesse para o profissional de neuropsicologia. Por exemplo, no campo forense ele pode trabalhar na avaliação e elaboração de laudos que contribuam para decisões judiciais referentes a responsabilidades civis e direitos em casos de psicopatologia, demências, dependência química, e outros. No Brasil, atualmente temos pesquisadores em universidades e institutos que trabalham em investigações envolvendo desde perfis clínicos associados a transtornos do desenvolvimento ou quadros demenciais até novos recursos como estimulação magnética transcraniana no tratamento de disfunções neuropsicológicas e mesmo em comportamento de consumo! Isso é o máximo! Uma outra área importante de atuação do neuropsicólogo é no desenvolvimento de testagem neuropsicológica, agregando conhecimento da psicometria para aplicação na avaliação de pacientes com prejuízos cognitivos. O crescimento da neuropsicologia e em especial, da neuropsicologia clínica no Brasil favorece a inserção do profissional em diversas áreas. Escolher e se aplicar é o que queremos ajudar você a fazer.   🙂

Até mais!